NOME CIENTÍFICO: Anthurium brownii

DESCRIÇÃO: Hastes longas, projetando as folhas brilhantes, retorcidas e alongadas, em formato decoração. Textura firme, nervuras amareladas. Floração roxa e fina, característica deste gênero botânico, sem grande apelo ornamental. Originária da América Central, gosta de ambientes sombreados, solos drenados e ricos em matéria orgânica.

CURIOSIDADE: “Antúrio não é filodendro, antúrio é chato de fazer.”
É assim que o produtor João Marcio Mello, do Rio de Janeiro, descreve a produção do Anthurium brownii.
Ainda como estudante, enquanto participava de um dos famosos almoços festivos oferecidos por Burle Marx, ganhou das mãos do mestre uma única muda de Anthurium brownii. Foi a partir desse presente especial que começou a observar a espécie e gerar novas mudas da planta ao longo de décadas.
É um caso clássico de planta pouco produzida por ser pouco utilizada no paisagismo. Exige dedicação e muita observação, com pouquíssima referência bibliográfica de apoio. O produtor reduz a produção, mas não desiste. Continua firme, multiplicando as “netinhas” descendentes da planta que ganhou de um dos maiores mestres do paisagismo brasileiro.
E ainda bem que continuou! Hoje, o Anthurium brownii é uma espécie de difícil acesso que tem sido cada vez mais valorizada, junto a diversas plantas tropicais que invadiram as novas tendências mundiais de paisagismo.
Um verdadeiro xodó e uma adição de respeito para qualquer composição!

COLABORADORA: Claudia Leandro / www.plantacaolocal.com.br

Compartilhe este conteúdo com seus amigos:

Deixe uma resposta