Falar de jardins verticais é um prazer para mim porque esse é um recurso que já utilizo em meus projetos a muitos anos, fiz minha primeira parede verde em 2007 e desde então estudei muito sobre o assunto, peguei gosto e não parei mais de colocar plantas nas paredes.  Considero os jardins verticais mais uma alternativa que encontrei para tornar tudo mais verde e natural nas cidades e na vida das pessoas !!!

Normalmente uso desse recurso em locais com pouca área permeável como pequenos jardins cercados de muros, áreas de recuos laterais que podem se transformar em verdadeiros corredores verdes, paredes internas que tenham certa relevância em um projeto de arquitetura, muros e fachadas.

No entanto existem infinitas possibilidades de fazer jardins verticais não só pela variedade de sistemas estruturais disponíveis no mercado como também pela nossa criatividade que não tem limites e permite fazermos diversas composições com revestimentos, esculturas, objetos, móveis e até chuveirões como fiz no projeto de um rooftop em SP.

Mas vamos começar do início, como escolher o melhor sistema para o seu caso? Essa não é uma tarefa simples porque cada projeto tem suas características mas, vou listar algumas dicas ou melhor dizendo, elencar coisas importantes que devem ser previstas.

1.Escolha do sistema – para escolher como montar seu jardim vertical você vai precisar estudar se o local tem capacidade para suportar o peso do sistema (lembre-se de verificar com o fabricante a carga considerando estrutura, substrato, plantas e água) e prever drenos para escoamento da água excedente (aquela que não é aproveitada pelas plantas) caso o jardim vertical não esteja em área permeável. Além disso será preciso conhecer as formas de fixação da estrutura escolhida, prevendo inclusive resistência à força de ventos e vibrações das paredes que receberão os jardins.

2. Irrigação – de preferência automatizada para garantir a rega adequada à cada espécie com quantidade de água e frequência corretas e equivalentes a cada tipo de espécie e setor da parede. Muitas vezes é inviável praticar regas manuais tanto por dificuldade de acesso à toda a parede quanto por não conseguirmos eficiência na rega.

3. Espécies vegetais – a escolha das plantas deve ser feita por um especialista que poderá prever o crescimento e “mapear” a parede para um jardim de sucesso. São muitas coisas para pensar como o clima da região, o microclima do local, a insolação (qual a incidência de luz solar, situações de meia- sombra e sombra) a maneira como cada espécie se desenvolve, os efeitos decorativos pretendidos, toxicidade das plantas, necessidade de manutenção e exigência hídrica das espécies que devem estar combinadas para receber a mesma quantidade de água enfim, tantos aspectos técnicos que nada melhor do que confiar essa função a um profissional da área.

Nesse jardim vertical coladinho com a piscina aproveitei para criar uma cascata e abusei das cores na escolha das espécies

4. Manutenção – apesar de ser um tipo de jardim que parece fazer tudo sozinho, mesmo com irrigação automatizada os jardins verticais precisam de manutenções periódicas e independente do sistema utilizado, serão elas que irão garantir a longevidade e a saúde das paredes verdes. Nas manutenções além das podas e limpezas de galhos e folhas secas é importante estar atento à umidade e por isso, fazer constantes alterações no sistema de rega como programações diferentes para cada estação do ano, avaliação dos sensores de umidade e atenção à possíveis falhas do sistema, sempre serão tarefas humanas portanto, não podemos abandonar os jardins mesmo que sejam totalmente automatizados. O mesmo para a adubação que em alguns sistemas é feita de forma manual e outras através de fertirrigação que nada mais é do que injetar adubos líquidos pelo sistema de rega. Claro que tudo isso precisa ser tecnicamente definido e os adubos bem dosados portanto, mais um motivo para que profissionais especialistas ajudem nos cuidados do seu jardim vertical. Sem falar na questão das alturas que muitas vezes os profissionais precisam subir para fazer esse trabalho e com certeza eles estarão mais habilitados e equipados com segurança para executá -lo.

5. Iluminação – iluminar sua parede verde é uma opção que depende do uso do ambiente, nada melhor do que valorizar as plantas com luz e ainda criar ambientes mais aconchegantes para usos noturnos. No caso dos muros e paredes externas, iluminar uma fachada verde valoriza e ainda ajuda na segurança das ruas.

Uma parede verde onde usei apenas 2 espécies criando uma textura interessante ainda mais valorizada pela iluminação – projeto em parceria com a Wall Plant para um restaurante com uso noturno importante.

Acho que falei das premissas básicas para o sucesso de um jardim vertical mas claro que cada projeto é único e tem suas peculiaridades podendo trazer desafios ainda maiores ou não, podendo ser implantados de forma mais simples e prática. Falando em praticidade, é importante que independente do sistema o jardim vertical não se torne um problema futuro, demandando cuidados e atenção que as vezes nem temos para disponibilizar.

Selecionei mais algumas imagens de projetos onde fiz uso desse recurso de plantas na parede,  espero que gostem e sirvam de inspirações.

Ambiente de spa com cascata e combinação de cores com o entorno (espaço gourmet).
Jardim vertical de 15m de altura que fiz para a sede de uma empresa em SP – Biofilia em ambientes comerciais

Ah, faltou contar para vcs que em visita ao jardim vertical do Musée Du Quai Branly de Paris, tive a oportunidade e honra de conversar pessoalmente com Patrick Blanc o precursor em jardins verticais no mundo, o que me fez olhar para o tema com outros olhos e me apaixonar ainda mais por essa técnica paisagística.

Imagem do dia que conversei com Patrick Blanc, nosso grupo de paisagistas aguardando a chegada do artista.

E para quem não quer fazer um jardim vertical tão complexo e profissional e mesmo assim quer colocar plantas nas paredes? Veja algumas referencias criativas que podem ser boas formas de trazer a natureza para perto e para as alturas…

Vergalhões de ferro com vasos de barro encaixados – fonte via Pinterest
Prateleira divertida em formato de cacto com plantas apoiadas e penduradas – fonte via Pinterest
Nichos de madeira em formato colmeia com plantas apoiadas – fonte via Pinterest

Quer saber mais sobre esse assunto? Tenho um convite para te fazer:

Dia 14 de abril as 19:30hs a Gabi Pileggi da Jardineiro Fiel e o Rico Adinolfi da Wall Plant estarão no Papo de Paisagista Online mostrando mais sobre plantas na parede. Eles vão falar tanto para os profissionais que querem se aprimorar nas técnicas e nos tipos de sistemas, quanto para os Amantes da Natureza que querem de forma mais simples ter suas paredes verdes criativas e lindas !!!

Veja como participar clicando aqui e inscreva-se para fazer parte desse Papo que será ao vivo e online, aproveitem !!!

One thought on “O poder terapêutico do verde – por Vitoria Davies

Deixe uma resposta