Quem busca a respeito de tendências na jardinagem e paisagismo provavelmente já encontrou esse termo. O mulch não é só benéfico, é essencial. Mas o que é isso?

Foto: LouAnn Clark, via Pixabay

Vamos direto ao ponto: mulch, ou mulching, é o nome em inglês para cobertura do solo com algum material que não seja plantas vivas. Qualquer coisa usada para cobrir o solo, seja folha seca, fibra de coco, casca de pinus, substrato, pedrisco, palha, argila expandida, conchas, qualquer coisa mesmo, recebe o nome de mulch.

Vidro sendo utilizado como mulch no Parque Amantikir, Campos do Jordão – SP
Foto: Gabriel Kehdi

Quando deixamos o solo exposto, deixamos a terra do jardim suscetível ao ressecamento, ao aquecimento excessivo, à erosão, a plantas daninhas, à compactação. Para evitar todos esses efeitos negativos utilizamos algum tipo de cobertura orgânica ou inerte. Assim o mulch favorece a retenção e umidade no solo, redução da temperatura, redução dos efeitos erosivos, redução da propagação de plantas daninhas, incremento da matéria orgânica (dependendo do material), favorecimento dos microrganismos benéficos do solo, redução da compactação superficial.

Mas há um jeito certo de fazer a cobertura do solo para beneficiar as nossas plantas, e não é tão intuitivo assim.

(Abaixo: Canteiros de árvores em Nova Iorque cobertos com folhas secas e triturado de madeira)

Canteiros de árvores em Nova Iorque cobertos com folhas secas e triturado de madeira.
Foto: Gabriel Kehdi

Assim como estabelece um dos muitos conceitos que regem a permacultura, todas as coisas num jardim devem apresentar mais de uma função. E o mulch não é exceção. Dê preferência para fazer o mulch com cobertura de origem vegetal, que ao se decompor irá incrementar matéria orgânica e nutrientes ao solo. Dessa maneira, além de trazer os benefícios que já comentamos da cobertura do solo, também melhoramos a fertilidade do solo. Substrato comercial, palha, fibra de coco, casca de pinus: esses materiais se decompõem com a ajuda dos microrganismos do solo, aumentando o teor da matéria orgânica. 

Foto: Manfred Richter, via Pixabay

Quando realizamos a cobertura do solo no nosso jardim para cobrir a terra de canteiros e árvores, devemos tomar alguns cuidados especiais. O principal deles é: jamais cobrir o colo das plantas. Colo é uma região muito sensível da planta, e é o ponto em que o caule vira raiz. O colo de uma planta não deve nunca estar muito exposto, nem muito coberto. Quando o colo de uma planta está exposto, ele sofre ressecamento, prejudica o desenvolvimento das raízes e reduz a estabilidade da planta. Quando o caule está muito coberto ocorre o chamado “sufocamento de colo”, que também prejudica as raízes e pode levar a planta à morte. Uma prática que é muito comum – e inadequada – é o “mulch vulcão”. Há pessoas que ficam tão entusiasmadas com a cobertura do solo que depositam quilos e mais quilos de material sobre o solo, soterrando as pobres plantinhas e árvores. Um mulch vulcão é um grande inimigo das plantas.

Quando o mulch acumula umidade e ainda há restos de material orgânico com potencial para apodrecer, inicia-se uma explosão de microrganismos que começam a decompor o material orgânico. Essa decomposição do material orgânico aumenta a temperatura do mulch, podendo a chegar surpreendentes 70°C. Essa temperatura é muito prejudicial para o desenvolvimento da planta, podendo matá-la. Esse ambiente de calor e umidade também pode favorecer o desenvolvimento de fungos e bactérias extremamente prejudiciais para as plantas, podendo causar podridão. 

Um outro aspecto importante a considerar é a origem do material a ser usado como mulch. Um material que foi mal armazenado, mantido ao relento, poderá apresentar diversas sementes de plantas daninhas, fungos e bactérias causadores de doenças, insetos indesejáveis, entre outros aspectos negativos. Ao realizar o mulch no jardim com um material de procedência ruim podemos espalhar problemas ao invés de solução. Por isso, tenha certeza de que o material escolhido para o mulch possui boa qualidade.

Foto: F. Muhammad, via Pixabay

Como aplicar o mulch no jardim:
Escolha o material da sua preferência para o mulch, e certifique-se de que a procedência seja confiável. Espalhe esse material sobre o solo de seus canteiros de modo que a cobertura tenha no máximo 3 cm de espessura, sendo 2 cm o ideal. Cubra todo o solo do canteiro, evitando que o mulch cubra o colo das plantas. Deixe um espaço entre o mulch e o caule, para garantir a circulação de ar adequada para o colo das plantas. E pronto! Fácil, não é?

Com essa dica seu jardim ficará ainda mais saudável e bem nutrido!

One thought on “O poder terapêutico do verde – por Vitoria Davies

Deixe uma resposta