Apartamentos pequenos podem ter horta, sim! por Helena Justo

Você sonha em ter uma horta em casa com vários temperos à mão e preparar deliciosos pratos para os parentes e amigos? Você imagina que essa horta pode ter também uma função decorativa na varanda, cozinha ou área de serviço? Você procura inspirações em fotos de blogs, sites, redes sociais e revistas para criar esses nichos saudáveis dentro de casa?

Horta na cozinha: inspiração para pequenos espaços – via Google Imagens

Se a resposta foi sim para todas essas perguntas, mas você acha que seu apartamento é pequeno e não comporta uma horta caseira, está na hora de rever seus conceitos. Os espaços internos estão cada vez mais reduzidos nos imóveis novos. Alguns chegam a ter 18 m2. Mas isso não impede cultivar plantas, ervas e hortaliças. É possível ter esses pequenos presentes da natureza dentro de casa desde que recebam pelo menos quatro horas de sol por dia ou um tipo específico de iluminação artificial para fazer a fotossíntese. Há lâmpadas especiais e modelos de estufas domésticas no mercado com essa finalidade.

Horta com iluminação artificial, 100% sem luz natural – via arquivo pessoal
Estufa doméstica: tamanho reduzido para espaços menores – via Google Imagens
Estufa doméstica: facilita a fotossíntese – via Google Imagens

Na pequena varanda do meu apartamento, na Vila São Francisco, em São Paulo, eu adoro cuidar de um vaso tríplex com ervas aromáticas, como manjericão, tomilho, hortelã, capim cidreira e orégano. Ali, tenho ainda vasos individuais com babosa, alecrim e lavanda. Vocês não imaginam a felicidade que esse cantinho traz para a minha vida.

Eu adoro cozinhar e sempre utilizo minhas ervas em pratos criativos ou de fácil preparo. Uma noite dessas chegou uma visita de última hora para jantar em casa. Não tinha nada especial para oferecer. Então, resolvi preparar uma massa com molho pesto, feito com o manjericão da varanda. Modéstia à parte, ficou deliciosa e a visita gostou muito.

No dia a dia, utilizo as ervas para dar um toque especial em carnes e molhos. Gosto também de decorar massas e saladas com as flores do manjericão. Muito além da culinária, as ervas ainda ajudam a relaxar por meio dos antigos e tão eficientes escalda pés.

Cuidados essenciais
Bem… vamos recapitular….para cultivar ervas e hortaliças você precisa de pelo menos quatro horas de sol por dia. O que mais? Boa irrigação em um solo de boa drenagem.

Mudas de ervas aromáticas e hortaliças em potes de PVC – via Google Imagens

Em um vaso, você pode cultivar praticamente todo tipo de erva. Existem muitas opções bacanas de recipientes, em diversos materiais, para plantar as ervas. Tem vaso de barro, de cerâmica, de vidro. Tem recipiente retangular de madeira. Tem vaso em formato de escada. Tem xícaras grandes adaptadas. Tem prateleiras para colocar na parede. Tem mini estantes coloridas. Vale a pena fazer um tour pelas lojas especializadas e buscar as opções que mais combinam com seu estilo.

Mudas de alface dentro de sapateira de parede: efeito criativo, as ervas aromáticas também dariam um efeito bem legal – via Google Imagens

E o mais importante de tudo… não existe um espaço mínimo para ter uma horta em casa. Se não tiver espaço no chão, use uma pequena bancada. Se não tiver espaço para a bancada, utilize a pia da cozinha. Se a pia da cozinha não receber sol suficiente, deixe em algum cantinho da sala perto da janela.  

Horta na cozinha: opção prática e inspiradora – via Google Imagens
Ervas aromáticas próximas à janela: crescem saudáveis – via Google Imagens
Vasos suspensos na varanda: opção decorativa – via Google Imagens

E, claro, se preferir uma ideia que una o melhor dos mundos – a decoração com a praticidade de uma horta caseira – coloque vasos suspensos no teto da área externa.

Jardim vertical de ervas: charmoso e funcional – via Google Imagens

Ou melhor, ainda: crie um charmoso jardim vertical na sua varanda. O efeito vai ser surpreendente. Você, sua família e visitas vão se sentir felizes e acolhidos. Principalmente, se tudo for cultivado de forma orgânica, saudável e sem agrotóxicos. Pode apostar!

A energia que vem das plantas – por Helena Justo

Você já foi a uma casa e logo na entrada sentiu um aroma bom e uma energia positiva? Essa atmosfera convidativa tem uma relação direta com os moradores da casa, a forma como convivem, a maneira como decoram os ambientes e o prazer que sentem em receber. Mas essa sensação de acolhimento, de estar num espaço harmônico, pode também ter outra explicação: o uso de plantas.

Mas por que as plantas trazem boas energias para os ambientes?  As plantas são seres vivos, têm capacidade purificar e melhorar a qualidade do ar, funcionam como uma barreira contra as irradiações eletromagnéticas, e ainda podem repelir ou transmutam as energias de uma casa. Esse processo acontece por meio do campo energético delas. Tudo que tem vida vibra e essa vibração interfere na energia dos ambientes e das pessoas.

Mesmo antes de ser arquiteta e paisagista, eu sempre gostei de ter plantas e arranjos florais dentro de casa. Além de deixar mais bonita e inspiradora, as plantas me trazem alegria e limpam a energia. Adoro as árvores frutíferas como a pitangueira. Ela atrai pássaros e isso me traz muita alegria, bem-estar e paz interior.

Sempre achei que uma casa sem planta é uma casa sem vida. 

Até no banheiro eu gosto de colocar uma planta ou um arranjo de flores. Aliás, esse é o ambiente da casa que mais precisa de purificação, pois ali fazemos nossa higiene pessoal.

Manter plantas em sua casa pode trazer confiança, otimismo, valorização pessoal, autoestima e segurança interior para os moradores e visitantes. E, claro, se você estiver bem internamente atrairá energias positivas e prosperidade para sua vida pessoal e profissional.

Compartilho aqui uma listinha de plantas que eu gosto e suas características energéticas:

Via Google Imagens

Alecrim  (Rosmarinus officinalis)
Como age – É uma erva que tonifica pessoas e ambientes. Considerada também um poderoso estimulante natural, favorece as atividades mentais, estudos e trabalho. Aumenta o ânimo e a vitalidade das pessoas.
Como cuidar – Deixe-a no mínimo quatro horas por dia em contato direto com a luz solar e mantenha o solo úmido, mas sem encharcar.

Árvore da felicidade macho e fêmea, plantas juntas no mesmo vaso – Via Pinterest

Árvore da Felicidade (Polyscias fruticosa)
Como age – Seu nome já diz: é uma planta que traz alegria e boa sorte. É um filtro da felicidade da casa e, quanto mais ela crescer, mais significa que a atmosfera do ambiente vai bem.
Como cuidar – Trata-se de um arbusto ornamental, que pode ser utilizado em local bem iluminado, sempre a meia sombra. Gosta de solo úmido, mas não encharcado. 

Via Google Imagens

Azaleia  (Rhododendron simsii)
Como age – Com arbustos de folhagem verde-escura, suas flores podem ser simples ou dobradas, de cores diferentes como branco, rosa, vermelho ou mesclado. A azaleia é ideal para irradiar o fluxo da energia positiva e harmonizar o ambiente contra energias negativas.
Como cuidar – Deve ser cultivada a pleno sol com regas regulares.

Via Google Imagens

Bambu mossô  (Phyllostachys edulis)
Como age – É uma planta conhecida desde os tempos remotos da China. Representa fortaleza, vida longa e prosperidade financeira.
Como cuidar – O bambu-mossô prefere solos bem permeáveis e férteis, sempre a pleno sol e com boa ventilação. Dificilmente desenvolve o rizoma quando plantado em vasos de interiores. Em jardins, no entanto, seu rizoma produzirá novos colmos e outros rizomas nos três primeiros anos. Em campo aberto, cresce até cerca de 10 a 20 metros em linha reta e vive em média 12 anos. Os exemplares curvilíneos que encontramos à venda são curvados pelas mãos humanas ainda novos para provocar um efeito estético muito interessante. 

Via Google Imagens

Bambu da sorte  (Dracena sandariana)
Como age – Também conhecida como Lucky-bamboo, atrai bons fluídos, boa sorte e prosperidade financeira.
Como cuidar – Pode ser plantado na terra, em vaso ou jardim, ou mesmo manter suas hastes na água, sempre à sombra ou meia sombra. É resistente em ambientes com ar condicionado.

Via Google Imagens

Clorofito  (Chlorophytum comosum)
Como age – O clorofito é um eficiente purificador de ar: absorve odores e fumaça e mantém os níveis de oxigênio do ambiente sempre em alta, melhorando a qualidade do sono.
Como cuidar – Cultive em espaços iluminados e mantenha seu solo úmido sem encharcar.

Via Pinterest

Dinheiro em penca
Como age – Esta plantinha atrai dinheiro e, se você recebê-la de presente, a prosperidade virá em dobro.
Como cuidar – O ideal é que ela fique perto de onde se guarda coisas de valor em casa. Se for em um ambiente profissional, deixe-a próxima ao departamento financeiro ou de vendas. Deve ser regada de uma a duas vezes por semana e tomar bastante sol.

Via Google Imagens

Dólar (Plectranthus nummularius)
Como age – Assim como o dinheiro em penca, o Dólar é uma planta que atrai dinheiro e prosperidade.
Como cuidar – Gosta de ambientes a meia sombra, mas pode ser mantida em ambientes bem iluminados. A rega deve ser frequente.

Via Google Imagens

Espada-de-são-jorge  (Sansevieria trifasciata)
Como age – É uma planta de proteção espiritual. A tradição diz que os vasos dessa planta combatem maus agouros e maus espíritos. Conta-se que, ao livrar o ambiente dos maus espíritos, olho gordo e energias negativas, a planta atrai também coragem aos integrantes da família onde se encontra. Muita gente a utiliza em banhos de limpeza espiritual a fim de afastar a inveja.
Como cuidar – Deve ficar na porta da entrada da casa, mantendo a pleno sol ou a meia sombra. Sua rega deve ser moderada: evite regar demasiadamente e deixe a terra secar bem antes de regar novamente. 

Via Carol Costa

Lavanda – (Lavandula angustifólia)
Como age – Planta de limpeza energética. É excelente protetora contra as invejas, olho gordo e energias ruins.
Como cuidar – O ideal é colocá-la na entrada de sua casa a pleno sol. Mantenha regas frequentes, mas sem encharcar.

Via Google Imagens

Lírio-da-paz – (Spathiphyllum wallisii)
Como age – Purificador do ar, ajuda no equilíbrio do ambiente e combate pensamentos ruins. Atrai paz e pureza para o ambiente. Limpa as ondas eletromagnéticas que vêm de aparelhos celulares e eletroeletrônicos.
Como cuidar – Para mantê-la saudável, procure deixar a terra sempre úmida.

Louro (Laurus nobilis)
Como age – Está relacionada com o êxito financeiro e nos negócios. Fortalece as energias dos espaços da casa e ajuda a equilibrar suas emoções.
Como cuidar – Deve ser colocada na porta da entrada de sua casa ou negócio, sempre a pleno sol. Exige regas moderadas e solo levemente úmido.

Via Google Imagens

Violeta-africana (Saintpaulia ionantha)
Como age –Suas folhas verdes e redondas ajudam no relaxamento e purificam o ambiente. Suas flores iluminam o espírito, transmitindo tranquilidade e segurança interna.
Como cuidar – Mantenha em local bem iluminado, com regas moderadas, deixando o solo úmido sem encharcar.

Muito além do jardim

Pode parecer estranho, mas as plantas, na verdade, nos escolhem. Quando for numa floricultura, feira ou loja especializada, pense naquilo que deseja profundamente. Certamente, o seu olhar se atrairá por determinada planta.

Em casa, as plantas ornamentais podem ser usadas no jardim ou no interior em vasos. Também é legal manter sempre um arranjo de flores dentro de casa. Que tal escolher uma flor que você goste muito e criar seu próprio arranjo? Nesse momento, novamente mentalize uma intenção, um desejo, um sonho…

Todo tipo de planta beneficia o ambiente de alguma forma. O mais importante é que esteja saudável e seja regada e nutrida na medida certa para que fique sempre com boa aparência. Uma planta bonita traduz que a energia de sua casa está saudável. 

Resumindo… Cuide de suas plantas e da sua energia com um olhar otimista e tranquilo. Se você conseguir manter uma frequência positiva na sua casa e nos seus pensamentos, sempre vai atrair boas energias e boas vibrações para a sua vida. E será uma grande alegria estar perto de uma pessoa como você!

Criando jardins espontâneos – por Helena Justo

Na infância, eu adorava brincar de casinha. E sempre usava as plantas para deixar os espaços mais bonitos ou até para fazer comidinhas. Nunca imaginei que um dia elas virariam alimentos de verdade. Afinal, há cerca de 40 anos, o conceito de PANCs (plantas alimentícias não convencionais) não existia e só colocávamos à mesa legumes, verduras e temperos tradicionais.

O termo foi criado apenas em 2008 pelo botânico Valdelly Kinupp para quebrar o preconceito com plantas consideradas daninhas e com outras desvalorizadas. Hoje, há uma busca constante da população por uma alimentação mais orgânica e equilibrada, por isso se fala muito sobre o uso de folhas, frutos, flores, raízes, sementes e brotos na culinária. Até mesmo nos restaurantes, os chefs têm utilizado espécies originais com alto valor nutricional.

Projeto autoral, Jardim espontâneo – ervas, pancs, frutíferas e ornamentais.

No paisagismo, o tema também anda em destaque. Muitos clientes tem pedido a introdução das PANCs nos projetos que eu, carinhosamente, costumo chamar de jardins espontâneos. Por quê? Uma das principais características dessas plantas justamente é o crescimento natural sem o uso de agrotóxicos e insumos.

Projeto autoral, Jardim espontâneo ervas e pancs.

Na verdade, desde o início da minha trajetória como paisagista faço jardins com ervas e PANCs. Mas por que eu gosto tanto delas? Olha… tenho uma boa lista de motivos. Em ambientes externos, as PANCs dão um toque de originalidade ao paisagismo. Seu uso valoriza espécies importantes na culinária e diminui impactos ao meio ambiente. E mais: é possível usar inúmeras espécies, desde palmeiras até forrageiras, e a maioria é fácil de encontrar nos supermercados ou na forma de mudas.

Agora, eu quero compartilhar com você as minhas PANCs preferidas…

Foto: Malcolm Manners

1. Capuchinha, Trapaeolum majus L.

É uma planta herbácea anual que necessita de sol pleno e tem ramos que variam de 70 a 140 cm de comprimento. Pode ser usada no jardim de forma rasteira, pendente ou como trepadeira. Suas folhas de sabor picante e suas flores podem ser consumidas. É riquíssima em vitamina C e tem propriedades antibióticas.

Fonte imagem: Google imagens

2. Costus, Costus spicatus (Jacq.) Sw.

O costus também conhecido como cana-do-brejo é uma planta herbácea perene e ereta, que pode chegar até 1,20m. Suas flores podem ser utilizadas em saladas. Suas folhas são usadas ocasionalmente para ornamentação, mas podem ser consumidas cruas em salada ou em suco. Com ação diurética e depurativa, ajuda no tratamento de problemas renais, inflamações e cistite.

Foto: Jean-Jacques Boujot

3. Dente de leão, Taraxacum officinale F.H.Wigg

O dente-de-leão, também conhecido como chicória silvestre, é uma planta herbácea perene. Necessita de sol pleno e sua altura varia de 5 a 30 centímetros. É rico em vitaminas A, B6, E, K e C e em minerais cálcio, potássio, magnésio, cobre e ferro.

Fonte imagem: Google imagens

4. Ora pro nobis – Pereskia aculeata Mill.

Também conhecida como trepadeira limão ou carne-de-pobre, pelo seu teor altíssimo de proteína, é um arbusto semilenhoso, perene,  bastante  espinhento e com ramos longos. As folhas, as flores e os frutos necessitam de sol e podem ser consumidos. No paisagismo, precisa ficar em um local sem acesso para as crianças e animais por causa dos espinhos. 

Foto: Shutterstock

5. Peixinho – Stachys byzantina K. Koch

Peixinho, também conhecido como peixinho-da-horta ou lambarizinho, é uma herbácea perene. Necessita de sol e sua altura pode chegar a 40 centímetros.  Com formato espatulado, cor verde esbranquiçada e perfume agradável, sua folha frita lembra o sabor de um peixinho de verdade. Pode ser usada também para acalmar tosses e irritações na faringe. No meio de outras vegetações, dá um charme especial ao paisagismo.

Hoje, estima-se que há uma média de 10.000 plantas com potencial comestível no Brasil. A biodiversidade do nosso país é imensa e reconhecida mundialmente. Que tal você aderir já ao consumo e utilização das PANCs, tão nutritivas e capazes de evitar agressões ao meio ambiente? Seu jardim vai ficar mais bonito, saudável e você vai contribuir para o bem-estar do Planeta.

Estou torcendo para você também se apaixonar pelas PANCs.

Até o próximo post!

Vamos praticar o autocuidado por meio das plantas? por Helena Justo

Hoje acordei muito feliz. Fui à varanda, reguei as plantas e contemplei meu pedacinho tão especial da natureza. E brindei comigo mesma minha estreia aqui no Papo de Paisagista. Filha de um engenheiro agrônomo e de uma designer floral, aprendi desde cedo a gostar das plantas e a respeitá-las, porque, como nós, são seres vivos. Assim, traçar meu caminho profissional ao lado delas foi uma consequência prazerosa e natural.

Há 20 anos, fiz vários cursos de Paisagismo, comecei a atuar na área e a criar projetos para proporcionar bem-estar às pessoas. Depois de um bom tempo, cursei Arquitetura, mas nunca deixei de lado a paixão pelas plantas. Para mim, mais do que deixar um ambiente bonito e aconchegante, o Paisagismo pode ter um papel essencial em relação às nossas emoções e à nossa saúde física e mental.

Agora, pára, pensa e sente! Quantas horas por dia você fica conectado no Facebook, Instagram, Linkedin, Whatsapp e em outras redes sociais? Quantos minutos você usa para  refletir sobre sua vida, sonhos e propósitos? Quantos momentos você se dedica a cuidar de si mesmo? Quantos dias por mês você sai de casa para encontrar os amigos queridos? Aposto que o tempo conectado ao computador ou ao celular é sempre o vencedor.

Não tenho nada contra a tecnologia, pelo contrário sou usuária das redes sociais. O problema é que ficar tempo demais no universo virtual tira o foco e diminui a conexão com o mundo interior. Mais do que isso: segundo uma pesquisa da Universidade de Pittsburg, nos Estados Unidos, as redes sociais aumentam a incidência de ansiedade e depressão entre os usuários. Aquelas pessoas que checam suas redes sociais várias vezes ao dia correm um risco duas vezes maior de ficar deprimidas do que outras que não se importam com a conexão digital. 

Nessa altura, você deve estar se perguntando: mas, o que o Paisagismo tem a ver com tudo isso? Tem tudo a ver! Se você praticar a chamada jardinagem holística (cuidar de cada etapa do desenvolvimento de suas plantas como se estivesse cuidando de si mesma de forma integral) vai conseguir se reconectar rapidinho com sua própria essência e com o universo. E, acredite, o processo é muito lúdico e mais simples do que parece.

Foto 1 – Foto arquivo pessoal da cliente que cuida pessoalmente de suas ervas.

Olha só! Quando você cuida de uma planta ornamental, frutífera, orquídea ou vaso de ervas, treina também o autocuidado e o autoconhecimento. A adubação com produtos orgânicos, por exemplo, é uma forma de alimentar e questionar a qualidade daquilo que você come no dia a dia. Na hora em que você faz a poda, também está buscando uma limpeza interna e praticando o desapego. Quando percebe que uma planta não floresce porque não está bem adaptada em determinado espaço e a transfere para outro lugar mais confortável, está treinando o olhar para o outro, a empatia e a compaixão.

A jardinagem holística ainda é um bom caminho para integrar a família. Tenho uma cliente que plantou uma roseira em vaso na sua varanda, o marido e os filhos ajudaram a regar, adubar e podar as flores, e ela mesma criou um belo arranjo para colocar em seu quarto, depois que as rosas floresceram. Foi uma tarefa em conjunto que proporcionou muita alegria e prazer a todos.

Foto 2 – Foto arquivo pessoal da cliente.

Segundo estudos, a jardinagem ainda ajuda a aliviar os sintomas de estresse. Alguns pesquisadores chegam a dizer que os benefícios são até melhores que os da leitura ou prática de meditação. Várias horas dedicadas à jardinagem, também ajudam a ter uma noite boa de sono, já que a atividade cansa o corpo e relaxa a mente.

Foto 3 – Cantinho especial com ervas e afins, projeto autoral para uma mostra de pequenos espaços para estar e relaxar. Foto arquivo pessoal.

Atenção, amigos! Na minha opinião, não faltam bons motivos para você acrescentar em seu projeto um cantinho para o cliente cuidar no dia a dia. Assim, ele vai deixar um pouco de lado a vida nas telinhas, mergulhar no mundo ao vivo e em cores e seguir um caminho mais pleno e conectado consigo mesmo.

Até o próximo post !!!