Vamos falar de marketing humanizado? por Chris Lara

No mês de novembro, tive a oportunidade de participar do maior evento de marketing digital da América Latina, o RD Summit. Entre tantos temas técnicos envolvendo estratégias online, uma frase me chamou a atenção: “Faça ao próximo o marketing digital que gostaria que fizessem para você”, dita pela especialista Liliane Ferrari.

Ela estava falando do Marketing Humanizado, também conhecido como human-to-human. Um despertar para muitas marcas que se perderam e, principalmente, perderam a conexão com o seu público usando mensagens genéricas e desconsiderando o fator humano de quem está do outro lado.

Esse novo olhar reforça a necessidade de construir uma relação de confiança entre empresa e cliente.  Relação essa baseada em três pilares:

Emoção: As emoções fazem parte dos seres humanos. Quando somos tocados por uma história significativa, criamos uma conexão com a mensagem passada e tendemos a guardar essa experiência na memória.  O foco deixa de ser o produto acabado – por exemplo, o jardim pronto – e  se volta para a narrativa, a história por trás daquele projeto:  quem o idealizou, quem são as pessoas que irão usá-lo, como irão usá-lo… Histórias reais.

Empatia: Cada experiência pode e deve ser customizada. Afinal, cada pessoa é de um jeito. Esse pode parecer um conselho genérico demais, mas aqui cabe o exercício de observar diferentes etapas do seu processo, do pré ao pós venda: o tempo para entregar um orçamento, o cumprimento do prazo de execução, o compartilhamento de informações sobre o projeto, o entendimento de que talvez o cliente não entenda de plantas e como cuida-las, e por aí vai. Será que existe algum aspecto que pode ser melhorado para valorizar mais ainda o cliente e mostrar que você se importa com o tempo dele?

Ética: Na maioria das vezes, seu cliente não dará atenção aos cursos de paisagismo e técnicas avançadas que você possa ter feito. O que realmente importa para ele é sua capacidade de ajudá-lo a resolver o problema específico que ele traz – sem criar outros! Ele precisa confiar que você trabalha com profissionais e empresas sérias, com produtos de qualidade e que irá fazer bom uso dos recursos.

Levando todos esses fatores em consideração, é hora de perder o medo (ou a preguiça) e colocar sua estratégia de marketing humanizado em ação. Lembre-se: quem não é visto não é lembrado.  Se você tiver sempre em mente a frase “faça ao próximo o marketing digital que gostaria que fizessem para você”, não tem erro. Você será capaz de criar um diálogo com seu público honrando valores que são importantes para todos vocês.

Deixe uma resposta