Quarentena, o despertar para o que faz sentido – por Helena Justo

Essa quarentena trouxe reflexões e certezas para a minha vida. Nos últimos 50 dias de isolamento, passei por várias experiências que me conectaram ainda mais com o meu lado espiritual. Meditei com frequência, busquei o autoconhecimento e apliquei reiki à distância. Uma das certezas que vou carregar daqui pra frente é que desejo cultivar cada vez mais as boas parcerias. Sempre achei que o Sol nasce para todos, que cada profissional tem seu espaço, que todos nascemos para brilhar. Nesse cenário, portanto, não há espaço para competição entre os profissionais e sim troca de experiências, trabalho colaborativo e soma de conhecimentos.

Em total sincronicidade com essa certeza, na semana passada, a minha amiga paisagista e parceira de trabalho Aline Famá, me falou sobre SORORIDADE, um conceito que tem sido muito divulgado e defendido.  De uma forma bem simplificada, significa a solidariedade e união entre as mulheres que partilham dos mesmos objetivos e propósitos. No início achei que fosse um movimento feminista, mas não é… vai muito além. É o caminhar de mãos dadas para um bem maior.

Alguns exemplos? Iniciativas de clientes, como o projeto Mulheres Empreendedoras da Luiza Helena Trajano para fomentar o empreendedorismo feminino e o projeto Olhar do Sertão, que ajuda as mulheres rendeiras. E, foi por causa desta sororidade, que a Aline me convidou no final do ano passado para desenvolvermos juntas o projeto de um Jardim Sensorial. E é com ela também que darei continuidade a este papo de hoje.  

Foto: Juliana Freitas

De forma colaborativa, unimos forças. Cada uma com sua expertise! Conseguimos criar um ambiente bonito, convidativo e ao mesmo tempo funcional. Nossa preocupação foi viabilizar as necessidades e preferências dos moradores em um espaço com apenas 30 m².

Sensações por toda parte

Fonte, jardim vertical, forno de pizza, ervas e muitas vegetações… esses foram os pedidos dos moradores.

Acolhemos o desejo do cliente e fomos um pouco além. Conseguimos envolver neste projeto os quatro Elementos da Natureza e despertar os cinco sentidos dos moradores. A ideia foi criar sensações e emoções agradáveis por meio de experiências que ligam o corpo, a mente e o espírito.

Vejam o antes e o depois do ambiente:

Fotos: Aline Famá
Foto: Aline Famá

Para alcançar o resultado desejado, abrimos canteiros no piso, repaginamos a churrasqueira, escolhemos um revestimento único para o piso, bancada, churrasqueira e forno de pizza, incluímos azulejo hidráulico, iluminação de jardim e colocamos um pergolado para dar abrigo nos dias de chuva e servir de suporte para a trepadeira florífera. 

E vocês devem estar se perguntando: Por que esse ambiente foi denominado jardim sensorial? É simples! Quando os moradores saem no quintal, automaticamente os 5 Sentidos ficam bem aguçados ao serem associados aos 4 Elementos:

Terra

Está representada em todos os cantinhos do projeto com várias vegetações em vasos, canteiros e um belíssimo jardim vertical. É exatamente a terra que estimula as primeiras sensações.

Água

Criamos um espelho d´água com uma fonte de Buda para estimular os sentimentos e emoções.

Fogo

Reestruturamos a churrasqueira e colocamos um forno de pizza. O fogo estimula a intuição e a ação. 

Ar

Contamos com a ação do vento, responsável por estimular os pensamentos.

Foto: Aline Famá

Na prática, o despertar dos cincos sentidos se traduz com muita facilidade, por meio das características e disposição das plantas.

Visão

As diferentes texturas e cores das vegetações ajudam a criar sensações visuais.

Foto: Aline Famá
Foto: Aline Famá

Tato, Olfato e Paladar

Acrescentamos as ervas aromáticas em vasos num canto especial do projeto. Além de perfumarem o ar, podem ser degustadas e representam um convite permanente ao toque.

Foto: Aline Famá

Audição

O espelho d’água com a fonte do Buda foi o ponto de partida deste projeto. O barulho e movimento da água trouxeram mais vida ao ambiente e zelam por toda a energia que ali circula. A água desperta emoções, trazendo suavidade, calma e equilíbrio aos moradores. 

Foto: Aline Famá

Então… Se, além de estimular o bem-estar e a contemplação, vocês quiserem também despertar os cinco sentidos em seus projetos utilizem: ervas, frutíferas, ornamentais de diferentes cores e texturas, fonte, espelho d’água, pedras e lareira.

Gostaram? Contem para nós. 

Aahhh e mais uma dica importante: se unam e se ajudem. Sem o outro, sem carinho, sem colaboração, sem amizade e sem verdade não chegaremos a lugar algum, se renovem!

One thought on “Quarentena, o despertar para o que faz sentido – por Helena Justo

  1. Que sensibilidade. Neste espaço dá para sentir todos os elementos usados. Isso nos mostra, que mesmo em pequenos espaços, podemos usar vários elementos e nos conectar a natureza. Uma lembrança que mesmo na correria do dia-a-dia, sempre tem um espaço para nos reconectar com nós mesmos.
    Parabéns Aline Famá e Helena Justo pelo trabalho.

Deixe uma resposta