Um Jardim com Sentimentos – por Marcilene Monzani

Você já pensou nas motivações que nos levam a desejar um jardim no espaço em que vivemos? E o desejo de trazermos, um pouquinho que seja, da natureza para nossos lares. Instintivamente buscamos a proximidade com a natureza, pois a ela somos imanentes.

Refletindo a respeito, lembrei-me do jardim na casa da minha avó e na maneira como ela dele cuidava. Eu ainda uma criança, estava sempre rodeando-a e observava como ela prazerosamente se dedicava àquele jardim.

Fonte imagem – Pinterest

Com diversas plantas cultivadas diretamente no chão, em potes, latas e baldes velhos, tudo junto e misturado, e tudo ia muito bem, obrigada!

Cada planta trazia em si uma estória. A pequena muda de Gerânio fora presente de uma tia avó. A Dália, a filha do meio trouxe de um passeio…

Capitão do campo – Fonte imagem – Arquivo pessoal

Existia uma interação entre ela e o jardim. Quando estava feliz, cantava enquanto regava, as vezes apenas conversava e em alguns momentos, com o aspecto mais triste, orava. Era o momento dela e ali, enquanto se conectava com as plantas, se desligava das outras preocupações. Era uma verdadeira terapia.

Aquele era um Jardim com sentimentos. Recordo-me claramente, enquanto caminhava pelas ruelas entre as plantas, minha avó conversando com as flores. Puro elogio! Como se entendessem cada palavra. A flor mais bela era promovida ao altar da Santinha, que agradecia com novos brotos.

Dália amarela- Fonte imagem – Arquivo pessoal

Não me lembro de nenhuma planta perecer ou morrer. Eram resistentes, talvez pelo fato de se sentirem profundamente amadas.

Hoje, procuro entender as mudanças da vida moderna e como podemos nos reconectar a natureza, que em algum momento da correria do cotidiano, nos desligamos.

Em minhas atividades como Paisagista, recebo constantemente solicitações por espécies que não “deem trabalho” e alguns demonstrando claramente a preocupação meramente estética. Não que o visual não importe, mas procuro resgatar nas memórias de cada um, espécies que lhes proporcionem boas lembranças e sempre que possível encaixá-las no projeto para que o jardim vá além de apenas decoração e assim resgatar o prazer pelo cultivo, pelos cuidados de ver florescer, frutificar, de sentir o perfume e o sabor, de dividir emoções e expandir, nesse pequeno ecossistema que é o jardim, e resgatar a importante e necessária interação homem /natureza.

Deixe uma resposta