O excesso e a falta do mundo digital – por Chris Lara

Mais do que nunca, nesses tempos de quarentena, estamos sendo desafiados a usar a nossa consciência para viver o equilíbrio em todos os aspectos da nossa vida. O digital se mostrou um grande aliado dos negócios e dos empreendedores, que ganharam autonomia para comunicar o seu produto ou serviço. Mas, para quem está do outro lado da tela do celular, o barulho ficou alto demais. Muita gente, querendo falar com muita gente ao mesmo tempo.

Junto com o excesso de informação que nos distrai, consome nosso tempo, ou ainda pior, nos estressa, vem a falta da autenticidade. Na busca frenética para chamar atenção, muitas pessoas acabam gerando cópias ou conteúdos vazios.

Podemos atribuir esta sensação de que o meio digital está saturado à falta de conexão com as mensagens que recebemos. E quando você – na posição de ouvinte – percebe isso, qual seria a sua reação? Cortar essas conexões. Simples assim. E o outro lado, que está mandando a mensagem, precisa saber interpretar esse sinal e se preparar melhor para conquistar o direito de ser ouvido.

Seletividade natural

O futuro é privado. Ele é mais próximo, mais íntimo. O dialogo real, entre consumidores e empresas, será uma escolha da primeira parte. Isso significa que as pessoas escolhem de quem elas querem receber informações e como elas querem que isso aconteça.

Isso muda a lógica de relacionamento e construção de valor na internet. Na prática, significa que apesar de ainda ser coletiva (de 1 para N), ela acontece com apelo individual. Você deve usar os seus canais de comunicação como se estivesse conversando com uma pessoa na sala de estar da casa dela, ou melhor, no jardim.

Então, se você vai aproveitar esse período de isolamento social no mundo físico para explorar um pouco mais o universo digital, vá fundo. Mas vá mais fundo ainda na dose de personalidade que vai usar nessa comunicação. Se pergunte, por exemplo: O que as pessoas com as quais quero me conectar para apresentar o meu trabalho gostariam de ouvir de mim neste momento? Não pense só em atributos do seu portfólio e serviço, mas também em características pessoais suas que podem fazer com que o cliente te escolha. A escolha de um paisagista tem a ver com atributos como segurança, credibilidade, experiência, mas também com afinidade.

Aproveite essa jornada do isolamento para se conectar com sua essência e com o que te trouxe até aqui. A resposta para o seu posicionamento de marca está dentro de você, e não em uma fórmula mágica de lançamento de produto.

Apesar da recessão econômica, os valores irão mudar. A necessidade de contato com a natureza, que já vinha aflorando à medida que o ser humano despertava para uma vida mais verdadeira, vai falar ainda mais alto após confinamento. Mostre que está preparado para fazer esta ponte.

One thought on “O excesso e a falta do mundo digital – por Chris Lara

  1. Cris, muito bem colocado. Não podemos deixar a pressão digital tomar conta de nós. Vamos dar o que faz sentido pra gente. Como podemos contribuir para esse mundo. E na medida do possível. Não do impossível.

    1. É isso mesmo, Gabi. Tem que ser com leveza, alegria e respeitar a individualidade de cada um. Equilíbrio!
      Beijo e obrigada por acompanhar as colunas.

Deixe uma resposta