As várias faces do marketing digital – por Chris Lara

Se alguém te pedir uma “ajudinha” para escolher as melhores espécies para criar um jardim exuberante, funcional e com baixo custo, você provavelmente terá que explicar que projetar um jardim não é tão simples assim. Terá que falar das N variáveis que podem interferir no resultado final.

Com o marketing também é assim. Por mais que existam fórmulas sendo apresentadas por especialistas nos muitos tutoriais disponíveis na internet, é preciso entender que, assim como no caso do jardim, não é algo tão simples. Apesar de mais acessível, o marketing digital, envolve conceitos e ferramentas que, às vezes, podem ser técnicos demais.

Por isso, para profissionais que não são da área mas precisam usar o marketing para alavancar o negócio, sugiro que, antes de estudar estratégias como Google ads, engajamento orgânico no Instagram ou marketing de atração (também conhecido como inbound marketing), invista tempo e energia para entender como se comunicar com seu público no canal escolhido.

Como? Testando! Esse é um dos grandes benefícios do marketing digital: ele é mensurável. Tanto é que a maioria das ferramentas de marketing já tem a análise de dados dentro de sua configuração básica. Assim, você pode avaliar o impacto das ações para montar a melhor estratégia. Em outras palavras: publique e avalie o resultado. Deu certo? Repita. Não deu? Faça diferente.

Vamos usar o exemplo do Instagram, provavelmente a ferramenta mais usada atualmente por profissionais autônomos.

O Instagram oferece para contas empresariais a ferramenta Instagram Insights, com análises sobre atividades, conteúdos compartilhados e público da página. O objetivo aqui não é explicar cada função disponível (a própria ferramenta traz a descrição dessas funções), mas, sim, estimular o uso desses dados para entender de que o seu público gosta e o que pode trazer mais resultado.

Fique atento ao seguinte:

O perfil dos seus seguidores: Informações sobre gênero, faixa etária e localização podem ajudá-lo a conhecer seu público, ainda que superficialmente, e ajustar a sua comunicação para atingí-lo.

O alcance das suas postagens: Ao comparar quais publicações apresentaram maior alcance, você pode focar em temas ou ideias com maior probabilidade de atingir mais pessoas. Considere variáveis de dias da semana e horário, pois elas representam a disponibilidade do seu público para interagir com seu conteúdo. Se os seus potenciais clientes têm baixa interação em horário comercial, por exemplo, por que concentrar suas publicações nessa hora do dia?

O comportamento da sua audiência: Você publica uma foto que tirou de uma planta que gosta muito e escreve na legenda: “Quem mais acha essa planta linda?”. Aí vem o resultado: uma única resposta com aquelas mãozinhas batendo palma. Não ignore esse sinal e continue criando postagens com a mesma intenção. Se você quer usar a ferramenta para chamar a atenção do seu público, precisa criar novas formas de fazer com que o seu conteúdo seja bom o suficiente para essas pessoas a ponto de fazê-las interagir.

Está vendo como não há respostas prontas? É preciso testar para ver se o público vai gostar de ver seu dia-a-dia de trabalho como paisagista, se ele se interessa por plantas exóticas, se ele gosta apenas de ver projetos acabados, ou se quer saber mais sobre cuidados com o jardim.

Faça testes de engajamento por tipo de conteúdo, por horário e dia de postagem, por uso de # e tudo mais que for mensurável. Repita o que deu certo, abandone o que não deu. Faça uma nova análise e siga testando. Só assim você vai entender a melhor forma de se comunicar. Qualquer semelhança entre essa rotina de marketing e a complexidade de um jardim não são mera coincidência.

Deixe uma resposta