A estética de pisos – por Vitoria Davies

O piso é um dos mais importantes elementos construtivos de um jardim, e um dos que mais me fascinam no paisagismo. Acho a combinação acertada de materiais e a criação de desenhos incomuns uma arte, como a pintura, a escultura… Assim como nas línguas, onde, a partir de um número finito de elementos (as palavras), pode ser construído um número infinito de frases, o mesmo se aplica à elaboração de pisos: são possíveis variações infinitas a partir de um número finito, embora vasto, de materiais: pedra, madeira, tijolo, seixo, pedrisco, grama, cerâmica, azulejo, mármore, placas cimentícias, porcelanato, ardósia, entre outros. Com eles, ou pela combinação deles, pode-se criar uma infinidade de “linguagens” – mais padrão, mais rústica, mais rebuscada etc., ou “linguagens” que se destacam pelo inusitado de suas formas e/ou de suas combinações.
Obviamente é importante aliar a estética à segurança em áreas molhadas, escolher revestimento apropriado para onde o tráfego será mais pesado, levar em conta o período arquitetônico da casa ou prédio ao escolher o piso etc., mas minha intenção aqui é focar somente na estética de pisos, exemplificar a multitude de possibilidades, apresentar criações bastante originais, reservando questões mais técnicas para outro momento.
O tipo mais comum de piso seria aquele em geral composto de um único material, do mesmo formato, tamanho e cor, e com paginação padrão: por amarração, alinhada, diagonal, dama, espinha de peixe, escama de peixe.

Padrão por amarração – Via Pinterest

A mistura de dois ou mais materiais permite a criação de pisos mais interessantes. Tende a ser consenso que se deve usar no máximo três tipos de material – ou quatro, em áreas mais extensas – para evitar uma certa poluição visual.  
A paginação abaixo, combinando madeira de demolição com seixos, deu um aspecto rústico e aconchegante a este piso:

Via Pinterest

Por outro lado, mesmo com um único material e a usual forração de pedriscos, pode-se inovar usando-o em formatos ou tamanhos diferentes:

Via Pinterest
Via Pinterest

O uso de um mesmo material em tonalidades diferentes, com formas diferentes ou não, faz com que o piso se destaque:

Piso criado por Burle Marx para a mansão da família Moreira Salles. Foto: Acervo pessoal
Via Pinterest

O muito comum piso com pedras irregulares, no estilo crazy paving, fica mais original quando composto de placas ou pedras bem maiores que o usual, ou entremeados com pequenos desenhos formados por seixos:

Via Pinterest
Via Pinterest

Juntas de grama, seixos ou pedriscos em pisos de madeira, pedras, placas de cimento etc. tornam o ambiente mais aconchegante:

Via Google

Os seixos ou pedras decorativas de tonalidade mais escura podem trazer maior elegância quando combinados com material mais claro e contrastando com o verde das plantas:

Via Pinterest

Não há limites para as inovações, como se vê a seguir, onde, a partir de uma paginação padrão, foi criado um desenho especial com o uso de grama:

Via Pinterest

Abaixo, foram usados fundos de garrafas como piso. Vale como inovação, mas provavelmente arrisca-se cair quando eles estiverem molhados… E não seria recomendado andar de salto alto fino sobre eles…

Via Pinterest

Os pisos mais rebuscados apresentam desenhos intrincados, como os pisos marroquinos ou aqueles formados por seixos de diferentes tamanhos e cores, ou por pedras portuguesas de duas ou mais tonalidades:

Piso marroquino. Via Pinterest
Piso com pedras portuguesas. Via Google
Piso com desenho formado por seixos. Via Pinterest.

Seguem alguns exemplos que primam pela originalidade, além de demonstrarem a infinitude de “linguagens” que podem ser criadas com o número finito de materiais existentes:

Via Pinterest
Via Google

Em resumo, os pisos mais impactantes tendem a ser aqueles que apresentam um belo contraste de materiais, cores, e/ou formas e formatos, com perfeito equilíbrio entre eles, compondo desenhos especiais.

Piso em Great Dixter, Inglaterra. Foto: @ulamarija

Deixe uma resposta