Talvez você ainda não tenha ouvido falar em biofilia, mas com certeza já ouviu falar em qualidade de vida, nos benefícios que a natureza nos traz e como ela é capaz de recarregar nossas energias.

Pois é, a biofilia nada mais é do que nossa tendência natural a amar tudo que é vivo (bio =vida, philia=amor). Sua origem está lá nos nossos ancestrais homens da caverna, por isso está presente no nosso DNA e nos faz querer buscar uma reconexão com a natureza, nos fazendo “relembrar” daqueles velhos tempos e assim nos sentirmos mais “em casa”.

Marina One Singapura
Marina One Singapura
Ingenhoven Arquitetos | Paisagismo Gustafson Porter + Bowman
Imagem: foto HGEsch; site Archidaily Brasil

E isso faz muito sentido! A humanidade passou 95% de sua história evolutiva envolta pelo ambiente natural. Estamos programados para responder aos estímulos da natureza e com ela conviver.

A migração para as cidades só ocorreu nos últimos 200 anos, pós revolução industrial e nossos corpos e mentes não foram capazes de se adaptar a uma
mudança tão drástica em nossos ambientes em tão pouco tempo. No Brasil, por exemplo, a população deixou de ser predominantemente rural apenas nas décadas 1960/70. Pouco tempo atrás, não é?

Essa nova forma de viver em tempos modernos, esse novo ambiente que não é natural à nossa espécie trouxe consigo níveis mais elevados de estresse, crimes, doenças psicológicas e também níveis mais baixos de produtividade e aprendizagem.

É aí que o design biofílico entra! Quando trazemos a natureza para os espaços construídos pelo homem moderno, resgatamos a nossa essência natural e começamos a desfrutar de seus muitos benefícios em nossas vidas. Como nosso corpo está acostumado ao ambiente natural, ele reage positivamente aos estímulos, reduzindo a pressão arterial, a freqüência cardíaca, o hormônio do estresse e aumenta a imunidade e a sensação de bem-estar, promovendo saúde física e emocional.

One Beverly Hills em Los Angeles
One Beverly Hills em Los Angeles
Norman Foster Arquitetos | Paisagismo Mark Rios
Imagem: DBOX for Alagem Capital Group


Para nos reconectarmos com a natureza, podemos adotar o design biofílico em nossas vidas, seja em casa, no escritório ou até mesmo em restaurantes, lojas e centros comerciais. Os jardins, as plantas em vasos, a presença dos pets, as paredes verdes, plantas suspensas, jardineiras sobre lajes são alguns dos recursos, mas eles não param por aí. Imagens com cenas da natureza também funcionam e provocam reações positivas em nosso cérebro. Iluminação natural, ventilação de ar natural, aromatizantes de ambientes com óleos essenciais e sons do canto de pássaros, por exemplo, também trazem a natureza para dentro. Vistas amplas para o ambiente externo, materiais naturais como a madeira e a pedra, desenhos que mimetizam elementos da natureza e até a presença da água e do fogo nos remetem ao nosso habitat original.

A ciência já comprova os efeitos positivos da biofilia, mas quando os espaços humanos aderem ao design biofílico, nós podemos sentir os seus benefícios na própria pele, pela própria experiência. É só começar e conferir!

Cidade Matarazzo São Paulo
Jean Nouvel Arquitetos | Paisagismo Louis Benech e Benedito Abbud
Imagem: Cidade Matarazzo

Quer aprender mais sobre Design Biofílico?

Confira a palesta online feita pela paisagista Flávia D’Urso, disponível na Loja do Papo.

Compartilhe este conteúdo com seus amigos:

Deixe uma resposta